Como ser um bom arquiteto? Confira 7 dicas!

Seja qual for a profissão escolhida, o início de carreira é geralmente cheio de desafios. A única maneira de vencer essa etapa e alcançar o sucesso é buscar o aprendizado constante, aperfeiçoar a atuação em cada projeto e realizar seu trabalho da melhor forma possível. Nesse cenário, saber como ser um bom arquiteto é fundamental. 

Quer descobrir como fazer isso? Neste post, reunimos 7 dicas que vão ajudá-lo a entender como ser um bom profissional e se destacar no mercado da arquitetura. Confira! 

1. Conheça as necessidades dos seus clientes

A criatividade de um arquiteto ou sua habilidade para agregar inovação aos projetos é muito importante, mas a sua capacidade de entender as necessidades das pessoas e satisfazê-las por meio dos serviços oferecidos é ainda mais fundamental. 

Afinal, os ambientes que um arquiteto projeta existem para uma finalidade. É naquele espaço que as pessoas vão viver, descansar, trabalhar, receber clientes ou realizar as mais diversas atividades diárias. 

Portanto, por mais que o arquiteto tenha um estilo próprio, ele precisa conciliar essas características e criar um ambiente perfeito para refletir a personalidade e atender às necessidades de seus clientes. 

Então, o primeiro passo para obter sucesso é conhecer as pessoas. Faça um briefing detalhado em que elas possam realmente expressar suas expectativas. Tente entender quais são as atividades planejadas para aquele ambiente e pense em como você pode facilitá-las. 

2. Participe de grupos de estudos 

Felizmente, a arquitetura está em constante evolução. Isso acontece não só porque a sociedade se transforma e reflete seus princípios e valores nas artes e em todo tipo de expressão humana, mas também porque a tecnologia nos permite ousar. 

O avanço tecnológico pode ser agregado às construções e possibilitar inovações incríveis. Novos materiais, formas e métodos até então impensáveis passam a fazer parte da realidade, melhorando a funcionalidade dos espaços e reduzindo custos. 

Mas para colocar isso em prática, o arquiteto precisa estar antenado nessas inovações. Ele não pode se contentar com o conhecimento que recebeu na graduação e parar no tempo, propondo sempre as mesmas velhas soluções. 

Para não entrar nesse círculo vicioso, continue pesquisando. Faça parte de grupos de estudo, participe de cursos e não perca oportunidades de interação com outros profissionais da área em eventos

Outra vantagem dos grupos de estudos é que eles criam a chance de discutir questões práticas. Além de sair da teoria, um colega pode observar detalhes e aspectos que você não havia notado, ampliando e aprofundando sua visão. 

É assim que você vai elaborar novas soluções, adquirir outros conhecimentos e descobrir possibilidades diferentes. Além disso, trata-se de uma forma eficiente de construir seu networking, fazer marketing e ampliar suas possibilidades de atuação. 

3. Busque boas referências

Exposições, projetos, leituras, documentários, filmes — há muitas maneiras de buscar referências e ampliar seu repertório de inspiração e soluções. Procure conhecer as principais obras arquitetônicas, vivenciando a experiência que elas proporcionam in loco.

Fique sempre atento aos projetos realizados por nomes de destaque, especialmente aqueles com cujas propostas você se identifica. Hoje, com as facilidades da internet, é possível segui-los em blogs, sites e redes sociais como o Instagram e obter inspiração. 

4. Desenvolva um olhar analítico

Pode parecer absurdo, mas alguns projetos contêm erros grotescos, mesmo que tenham sido assinados por arquitetos. Nem sempre essas falhas são tão gritantes, mas podem prejudicar a funcionalidade de um ambiente. 

Por isso, é muito importante que você desenvolva um olhar analítico. O objetivo não é assumir uma postura crítica diante do trabalho de outros colegas de profissão, mas aprender e aperfeiçoar sua própria prática. 

Sempre que estiver em um ambiente, analise os detalhes. Veja quais são os elementos que tornam o espaço mais funcional e contribuem para o bom uso e identifique aqueles que causam o efeito contrário. 

Pense em opções melhores para aquela necessidade e passe a evocar essas análises quando estiver fazendo seus próprios projetos. Agregue o que for bom e interessante e evite esses erros observados. 

5. Invista na construção de competências

É fato que nascemos com uma tendência a gostar de determinadas áreas e atividades. Às vezes, sentimos que temos uma habilidade natural, sem que saibamos exatamente como isso acontece. Alguns chamam isso de dom ou talento.

Porém, não podemos acreditar que as nossas habilidades são como uma caixinha fechada, que não admite adições. Nós sempre temos a oportunidade de desenvolver essas capacidades e agregar competências para melhorar o desempenho profissional.

Portanto, se você compara seu trabalho com projetos incríveis e pensa no quanto falta para chegar a esse nível de performance, não desanime. Você também pode alcançar esse patamar.

Por isso, não se acomode. Eleja algumas habilidades ou competências que você precisa desenvolver e trabalhe para melhorá-las progressivamente. Procure cursos e projetos que ajudem nessa tarefa e não desanime. 

6. Participe de concursos

Desde o seu período como estudante, é muito importante participar desse tipo de iniciativa. Como profissional, você também pode se inscrever em concursos que permitam a atuação de graduados.

As vantagens vão muito além dos prêmios. Pense nesses concursos como uma oportunidade de aperfeiçoar seu trabalho. Afinal, para participar será necessário apresentar um projeto que atenda a determinadas exigências. 

Nesse tipo de desafio, existe uma possibilidade incrível de ter o seu projeto avaliado por um júri técnico altamente capacitado. Portanto, é uma forma de obter um feedback valioso para identificar os aspectos em que você precisa melhorar para se destacar. 

Mesmo que seu projeto não seja premiado, ele pode fazer parte do seu portfólio e ser mencionado no currículo. As ações de divulgação do organizador do evento também podem atrair a atenção para o seu trabalho e gerar boas oportunidades. 

7. Especialize-se

Ao mesmo tempo em que existe uma infinidade de clientes em busca de arquitetos, também existe uma enorme concorrência no mercado. A especialização é uma forma de buscar a diferenciação, de fazer com que você não seja apenas mais um arquiteto na multidão. 

Os clientes apostam muito mais em quem é especializado. Por isso, mesmo que um escritório possa oferecer serviços diferentes, uma das principais dicas para quem está começando a carreira é escolher uma área de atuação e se concentrar nela. 

A especialização tem justamente esse objetivo: direcionar seu foco para uma área e garantir que você tenha um conhecimento mais aprofundado a respeito dela. Isso vai favorecer a qualidade e a diferenciação do trabalho, o que é essencial para conquistar uma boa reputação e valorizar seu nome no mercado. 

Com esforço, dedicação, aprendizagem constante e um ótimo atendimento, um arquiteto consegue ver sua carreira deslanchar. O resultado é o aumento não só dos seus rendimentos, mas principalmente do reconhecimento de clientes e colegas de profissão. 

Gostou das nossas dicas? Elas ajudaram você a descobrir como ser um bom arquiteto? Quer outras sugestões para alavancar sua carreira e conquistar clientes? Então, siga-nos no Facebook, no Twitter e no LinkedIn e acompanhe o nosso conteúdo. Nos vemos por lá! 

Sobre o Autor

Gostou deste conteúdo? Compartilhe!

Facebook
WhatsApp
Google+
Twitter
LinkedIn

Comentários