Os erros mais comuns na hora de especificar louças e metais

A especificação de louças e matais tem sido um assunto requisitado tanto por clientes, quanto por profissionais, uma vez que interferem diretamente na vida do morador, por refletir em cômodos de extrema importância, como a cozinha, o banheiro e lavanderias.

Assim, o conteúdo proposto aborda a compatibilidade e incompatibilidade de produtos, como avaliar compatibilidade de cuba e metal, principais medidas do projeto, como saber a pressão no local e o que isso implica na escolha dos produtos, vazão de chuveiros, sistemas de descarga e consumo de agua, entre outros, que você confere a seguir:

Cuba X Metais:

 

  1. Pensar na cuba e no metal separadamente e não pensar na compatibilidade do conjunto, tanto técnica quanto ergonomicamente. Alguns exemplos:  Usar cubas ou tanques,  afastados da parede ou muito grandes, com metais de parede de bica curta; Adotar metal de mesa com acionamento na parte de baixo para cubas de apoio sem deck/mesa (espaço na própria cuba para apoiar o metal). Não avaliar tamanho da bica X cuba fazendo com que a água caia nos cantos da cuba, tornando o uso desconfortável;
  2. Não avaliar o espaço, ou tamanho da bancada, e tamanho de cuba ideal colocando uma cuba maior que o espaço disponível;
  3. Escolher metais que ao abrir esbarrem na parede, frontão, espelho etc e não sejam ergonomicamente confortáveis de manusear;
  4. Optar por misturadores de parede e esquecer de alertar a equipe de obra, para prever embutimento da base, antes de fechar a parede;
  5. Especificar cubas de apoio e não checar altura da bancada;
  6. Adotar metal de parede e usar ponto de água em altura incorreta em relação à cuba (muito alto fazendo com que o jato de água espirre bastante  ou muito baixo tornando o uso desconfortável);
  7. Avançar espelhos na bancada, esquecendo de considerar a altura da bica do metal;
  8. Usar metais de sensor na parte debaixo,  com cubas de apoio ou sobrepor sem deck/mesa;
  9. Especificar cubas de piso, onde o ponto de esgoto é no próprio piso, e não avisar equipe de obra que o esgoto não é na parede;
  10. Usar cubas redondas, com mesa/deck, junto com metais de chapa quadrado.

Metais:

 

  1. Escolher metais (ex: chuveiros, monocomandos etc), sem verificar a pressão no local; Não se atentar a pressão mínima recomendada para cada produto;
  2. Escolher chuveiros, sem pensar na vazão máxima permitida pelo aquecedor de passagem;
  3. Especificar chuveiro de teto e não perguntar ao cliente se ele deseja ducha manual, para prever ponto de água na parede;
  4. Usar chuveiros de teto em locais onde o pé direito é muito baixo ou muito alto, alturas fora do padrão;
  5. Usar chuveiros mais complexos como Deca Spa, Twin Spa, Enjoy sem pensar na infra-estrutura necessária, pontos de água e comandos para acioná-los;
  6. Não dimensionar escoamento de água do box (ralo) compatível com a vazão do chuveiro escolhido;
  7. Em cozinhas, usar monocomandos, onde a alavanca virá para trás, muito próximo da parede / frontão, fazendo com que o metal esbarre na parede, impedindo que a alavanca vire totalmente para trás e dificultando o manuseio;
  8. Em cozinhas, projetar armários baixos, em cima da bancada, com monocomando gourmet que são peças altas, e precisam de espaço para caber e para manusear o produto;
  9. Usar metais com dispositivos eletrônicos sem considerar ponto de energia.

Bacias/ sistemas de descarga:

 

  1. Não avaliar as possibilidades de sistema de descarga antes de escolher a bacia (caixa acoplada, válvula hydra ou caixa embutida);
  2. Escolher bacia somente pelo design e não pensar na tipologia (bacia suspensa, bacia com esgoto pelo piso, bacia de piso com saída horizontal etc);
  3. Especificar bacia suspensa, sem analisar se a parede é de alvenaria ou drywall, para prever suporte adequado;
  4. Optar por bacia suspensa ou com saída horizontal e não avisar equipe da obra para prevê a infra-estrutura necessária;
  5. Não se atentar ao correto ponto de esgoto para usar bacia com caixa acoplada, que ao errar, ou não permite a instalação por estar muito próximo à parede, ou fica muito longe da parede correndo o risco de soltar a caixa, ou dar vazamento ou ainda quebrar a louça;
  6. Usar válvulas de descarga economizadoras com bacias antigas (de mais de 6L);
  7. Especificar Bidê de 3 furos com monocomando de bidê, ou o inverso, usar bidê de 1 furo com misturador de bidê;
  8. Especificar mictório com entrada de água embutido e válvula de descarga externa, ou o inverso.

Geral:

 

  1. Fixar acessórios ou cubas suspensas, em paredes de drywall, sem prever reforço e fixação para o mesmo;
  2. Não levar em conta o usuário ou  tipo de projetos,  para escolha dos produtos (ex: usuários: crianças, idosos, pessoas com deficiência etc / Ambiente: Espaço público, residencial, corporativo etc);
  3. Especificar metais com cores diferenciadas e não incluir itens de instalação na mesma cor;
  4. Não considerar produtos economizadores e anti-vandalismo para uso público;
  5. Não perguntar ao cliente se ele prefere a ducha higiênica com água somente fria ou quente e fria, para prever instalação na obra.

Sobre este autor

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Já ajudamos mais de 700 escritórios a crescer e queremos compartilhar ideias e práticas bem-sucedidas.

Cadastre-se e receba conteúdo e novidades para o seu desenvolvimento profissional e pessoal.