Capacitação profissional para arquitetos e designers de interiores: saiba onde investir

Você sabe por que deve investir em capacitação profissional? A resposta é simples: para agregar conhecimento, atualizar-se e especializar-se. Afinal, essa é a chave para construir sua autoridade como arquiteto ou designer de interiores e conquistar êxito na profissão.

A Arquitetura e o Design de Interiores são áreas dinâmicas, que evoluem conforme as demandas, as mudanças comportamentais e os desafios enfrentados pela sociedade, bem como o avanço tecnológico.

E sabe o que isso significa? Para não se tornar um profissional obsoleto, tanto frente ao mercado corporativo quanto para conquistar clientes como autônomo, você precisa aprimorar continuamente o aprendizado adquirido na faculdade.

São incontestáveis as vantagens de investir em capacitação profissional quando o objetivo é se destacar em um mercado tão competitivo como o da Arquitetura. Confira, a seguir, algumas delas:

  • possibilidade de estender conhecimentos, atualizar técnicas e adotar inovações tecnológicas e sustentáveis;
  • aumento da remuneração, da valorização profissional e da chance de ascensão (se trabalha em uma corporação);
  • ampliação de networking e das perspectivas de atuação;
  • consolidação da imagem de autoridade no assunto. 

São motivos suficientes para convencê-lo? Esperamos que sim! Por isso, vamos mostrar, agora, como e onde investir para consolidar de vez sua carreira. Acompanhe!

Pesquisa

Na hora de buscar novos conhecimentos, é comum bater aquela dúvida de a qual área se dedicar. Por isso, o primeiro passo é avaliar se existe algum segmento no qual você deseja muito trabalhar. Afinal, um profissional feliz com o que faz tem mais chances de sucesso.

Entretanto, não se pode descartar setores e atividades que estão em alta no mercado. Se possível, o ideal é conciliar essas duas condições, concorda?

Atualmente, algumas áreas estão em destaque no setor da Arquitetura e do Design de Interiores. Veja algumas delas:

  • elaboração de projetos com a tecnologia BIM;
  • modelagem em 3D e realidade virtual;
  • desenvolvimento de técnicas sustentáveis e materiais renováveis;
  • tecnologia da informação e softwares;
  • restauração de edificações e planejamento urbano;
  • conforto térmico e acústico.

É importante ficar sempre antenado, pois, como dissemos, trata-se de um mercado em constante evolução e novidades surgem a cada dia! Navegue pela Internet, leia periódicos, sites e blogs especializados e converse com colegas de profissão para manter-se atualizado.

Ampliação da área de atuação

Ao conquistar o diploma, o arquiteto e o designer de interiores são generalistas, isto é, aptos a desenvolverem projetos em diferentes áreas dentro de sua formação.

O primeiro, por exemplo, pode trabalhar com paisagismo, Design de Interiores e de produto, projetos de edificações em geral, urbanismo, cenografia, gerenciamento de obras e preservação do patrimônio histórico.

Já o segundo tem atuação mais restrita, não podendo executar obras ou projetos que demandem alterações estruturais. Dessa forma, desenvolve, principalmente, projetos para ambientação de espaços, tornando-os mais confortáveis, funcionais e sustentáveis. 

Independentemente dessas diferenças de atuação, ambos se dedicam a disciplinas complementares. Por exemplo, se você contratar o projeto de uma casa, espera que o paisagismo esteja incluído, não é mesmo? 

Com o ritmo de vida cada vez mais acelerado, é provável, inclusive, que seu cliente não deseje somente o projeto, mas o gerenciamento da obra. Você está pronto para atendê-lo?

Por isso, tenha em mente que você precisará se especializar em mais de um segmento, de acordo com o seu foco de atuação e seu público-alvo, para se diferenciar no mercado.

Cursos de especialização

São ótimas alternativas para ampliar a capacitação profissional, já que tanto para trabalhar no ambiente corporativo quanto para exercer uma atividade autônoma, o acúmulo de funções é uma realidade para o arquiteto e o designer de interiores.

Antes de optar por algum curso, defina seus objetivos em curto e médio prazos, bem como seu plano de carreira. Além disso, organize suas finanças e avalie se, de fato, terá tempo disponível e disposição para se dedicar aos estudos.

Os cursos de pós-graduação são, comumente, de curta duração — um ano — e oferecidos pelas faculdades e universidades em duas modalidades: lato sensu, para quem deseja se especializar em um tema específico de sua formação (inclui o MBA), ou stricto sensu, a primeira etapa para quem planeja investir em pesquisa ou em uma carreira acadêmica.

Aliás, para seguir a carreira de docente, os cursos de mestrado e doutorado têm se tornado pré-requisitos indispensáveis. Isso porque as universidades precisam contar, obrigatoriamente, com um número mínimo de professores doutores. Por isso, esses profissionais são mais valorizados.

Essas formações têm diferenças importantes. No mestrado, o aluno assiste a aulas, define um tema de estudo e pesquisa e conta com um orientador para ajudá-lo no desenvolvimento de uma dissertação. Ao final de dois anos, em média, o trabalho deve ser aprovado por uma banca examinadora. 

Já para se tornar um doutor, o aluno fica de 4 a 5 anos envolvido com o desenvolvimento de uma tese, baseada em um tema inédito e em uma análise mais aprofundada. Também assiste a aulas, conta com um orientador e o trabalho deve ser aprovado por uma banca examinadora. O título ainda pode se estender a um pós-doutorado, caso o aluno continue sua pesquisa científica.

Vale destacar que alguns desses programas podem ser desenvolvidos com o auxílio de bolsas parciais ou integrais. Você pode conferir na universidade como se candidatar a uma.

Treinamento técnico

Foi-se o tempo em que a prancheta, a régua “T”, os esquadros e o escalímetro eram as principais ferramentas do arquiteto! Atualmente, ter conhecimento de softwares de desenho e modelagem é pré-requisito básico para trabalhar em qualquer escritório.

Ademais, com o acúmulo de funções, a capacitação profissional vai além da proficiência em desenho técnico e da proposição de soluções inovadoras. Ser capaz de gerenciar contratos, elaborar orçamentos e acompanhar cronogramas faz parte da rotina do arquiteto. Dessa maneira, o domínio de programas de gestão de projetos é um diferencial relevante.

Por isso, invista em cursos para utilização desses softwares. Existem escolas técnicas que disponibilizam aulas presenciais além de módulos online. Aliás, navegando pela Internet, você encontra, também, cursos menos aprofundados e muitos tutoriais gratuitos!

Participação em eventos

Entre as opções desta lista, pode-se dizer que os eventos de Arquitetura e Design de Interiores são as oportunidades mais indicadas para quem busca ampliar seu networking e formar parcerias, conhecer empresas, novas tecnologias e práticas sustentáveis e atualizar-se em relação às novas tendências e conceitos.

Esses encontros são realizados ao longo de todo o ano, em diferentes regiões do país e do mundo, em formato de workshops, feiras, palestras, mostras, congressos, concursos de projetos, entre outras modalidades.

Mais uma vez, a Internet é uma grande aliada para saber as datas e atrações de cada evento e como participar.

Esperamos que este post tenha esclarecido a importância e as maneiras de investir em capacitação profissional. Se você gostou do conteúdo e quer saber mais sobre como impulsionar sua carreira, conheça o Archathon! Vamos lá!

Sobre o Autor

Gostou deste conteúdo? Compartilhe!

Facebook
WhatsApp
Google+
Twitter
LinkedIn

Comentários