O que é cálculo luminotécnico? Como fazer e que programa usar?

Cálculo luminotécnico. Até o nome é complexo. Por isso, entendemos o seu desespero neste momento. Mas não se preocupe. Se a iluminação ainda é uma dificuldade para você na hora de construir um projeto arquitetônico, você acaba de encontrar o seu lugar. Neste artigo, iremos te dar ótimas dicas de como fazer este cálculo e qual programa usar.

O que é cálculo luminotécnico?

Uma boa iluminação é muito mais que apenas especificar uma luminária ou uma lâmpada para um ambiente. É necessário um planejamento. Esse planejamento é feito por meio de um cálculo luminotécnico.

O projeto luminotécnico tem como objetivo estabelecer a quantidade de luminárias e equipamentos necessários para que um determinado ambiente tenha a iluminância adequada requerida. Ele leva em consideração todos os aspectos do ambiente e da fonte de luz a ser utilizada.

Os métodos mais utilizados são o cálculo luminotécnico pelo método dos lúmens, definido pela Comissão Internacional de Iluminação (CIE) e o método ponto a ponto, que se baseia na Lei de Lambert.

Conheça a seguir cada um desses métodos detalhadamente e aprenda a calcular a quantidade de luminárias necessárias para um determinado ambiente.

Como fazer cálculo luminotécnico

Método Ponto a Ponto

O método ponto a ponto, também conhecido como “método das intensidades luminosa”, é recomendado para a determinação da iluminância obtida com lâmpadas pontuais de dimensões pequenas e de fachos de luz bem definidos, como lâmpadas halógenas tipo PAR, dicróicas e AR 70/111.

Se a distância “d” entre a fonte de luz e o objeto a ser iluminado for no mínimo 5 vezes maior do que as dimensões físicas da fonte de luz, pode-se calcular a iluminância pelo método de iluminância pontual, aplicando-se a fórmula:

Onde: I = Intensidade luminosa (cd) lançada verticalmente sobre o ponto considerado.

Método dos lúmens

O método dos lúmens é o método mais simples de cálculo luminotécnico e fornece um resultado numérico único da iluminância a ser obtida no ambiente em função dos equipamentos especificados e das características do ambiente ou da quantidade necessária de equipamentos em função da iluminância desejada.

Para início dos cálculos é necessário o levantamento das características da instalação:

  • Características construtivas da instalação – dimensões dos ambientes e classificação de acordo com uso para determinação da iluminância requerida conforme a norma ABNT NBR ISO/CIE 8995-1:2013;
  • Refletâncias das superfícies – teto, paredes, piso;
  • Frequência de manutenção e condições de limpeza do ambiente – para estimar o fator de manutenção (FM) ou fator de perdas luminosas (FPL).

Passo 1 – Escolha o nível de iluminação médio (Em) – NBR ISO/CIE 8995-1

Esta norma especifica os requisitos de iluminação para locais de trabalho internos e os requisitos para que as pessoas desempenhem tarefas visuais de maneira eficiente, com conforto e segurança durante todo o período de trabalho.

Verifique o nível de iluminância requerida de acordo com a atividade que o ambiente exige.

Passo 2 – Cálculo do índice do local (k)

O índice do local (K) é uma relação definida entre as dimensões (em metros) do local.

É definida pelas fórmulas:

K = (a.b)/(h.(a+b)) para iluminação direta;
K = 3.(a.b)/(2.h’.(a+b)) para iluminação indireta;

Sendo:
a = comprimento do recinto
b = largura do recinto
h = pé direito útil (distância real entre a luminária e o plano de trabalho)
h’= distância do teto ao plano de trabalho

Passo 3 – Definindo o Fator de Utilização (U)

O fator de utilização (U) é um dado fornecido pelos fabricantes de luminárias. Ele indica o desempenho da luminária de acordo com as refletâncias do ambiente.

Para determinar o fator de utilização, basta utilizar a tabela do fabricante cruzando o índice de recinto (k) com os índices de refletância.

calculo luminotecnico

Passo 4 – Definindo o Fator de Manutenção (FM)

O fator de depreciação ou de manutenção relaciona o fluxo emitido da fonte de luz no fim do período de manutenção da luminária e o fluxo luminoso inicial da mesma.

O dimensionamento dos sistemas de iluminação deve considerar um fator de manutenção (FM) ou fator de perdas luminosas em função do tipo de ambiente e de atividade desenvolvida, do tipo de luminária e da lâmpada utilizada e da frequência de manutenção dos sistemas.

Este parâmetro é necessário, pois com o tempo de uso, se reduz o fluxo luminoso da lâmpada devido ao desgaste, quanto ao acúmulo de poeira na luminária, resultando em uma diminuição da iluminância.

calculo luminotecnico

Passo 5 – Delimitando o ofuscamento

Ofuscamento direto, através de luz direcionada diretamente ao campo visual.
Ofuscamento reflexivo, através da reflexão da luz no plano de trabalho, direcionando-a para o campo visual.

Considerando que a luminância da própria luminária é incômoda a partir de 200 cd/m², valores acima deste não devem ultrapassar o ângulo indicado na figura.

Calculo luminotecnico

O posicionamento e a Curva de Distribuição Luminosa devem ser tais que evitem prejudicar as atividades do usuário da iluminação.

Passo 6 – Definindo o número de luminárias

Para calcular a quantidade de luminárias para um determinado ambiente:

Sendo:

N: número necessário de luminárias
Emed: iluminância média (lux)
A: área do ambiente (m2)
n: número de lâmpadas em cada luminária
φn : fluxo luminoso de cada lâmpada (lm)
U: fator de utilização
FM: fator de manutenção
FFL: fator de fluxo luminoso do reator

Passo 7 – Distribuições das luminárias

Definida a quantidade de luminárias necessária para atingir um nível médio de iluminância, a distribuição pode ser realizada de uma forma que haja equilíbrio, de acordo com o desenho do ambiente, as distâncias entre as luminárias devem ser o dobro da distância entre estas e as paredes laterais.

Sempre que houver necessidade, recomenda-se o acréscimo de luminárias quando a quantidade resultante do cálculo não for compatível com a distribuição desejada no projeto.

Software para Cálculo Luminotécnico

DIALux Mobile

Se você quer facilidade e praticidade, esse aplicativo é a solução. Com ele, fica muito mais fácil e rápido realizar um cálculo luminotécnico.

O usuário pode planejar um sistema de iluminação a partir de uma biblioteca pré-definida. Em apenas algumas etapas, é possível inserir as dimensões do ambiente e selecionar os requisitos de iluminação, assim como o fator de manutenção a partir do perfil de utilização.

O resultado do cálculo mostra a quantidade de luminárias necessárias e onde elas devem ser colocadas para alcançar a iluminância média desejada. Faça o download do DIALux Mobile.

Dialux Evo 8.1

Esse programa é um verdadeiro laboratório de efeitos de iluminação. E o melhor: é gratuito!

Com ele, você pode modelar seu ambiente em poucos minutos a partir de um arquivo DWG, calcular a iluminação e visualizar a luz de uma forma profissional.

O DIALux é usado como ferramenta de cálculo luminotécnico por mais de 700.000 arquitetos de iluminação em todo mundo. Faça o download do DIALux Evo 8.1.

Quando se tem um escritório de arquitetura, além do cálculo luminotécnico, dos projetos de arquitetura e tantas outras coisas demandadas pela atividade, você também precisa correr atrás de clientes e otimizar os resultados do seu escritório. Se consolidar nem sempre é fácil. Exige esforço, comprometimento, contatos e conhecimento.

No entanto, existe uma forma de tornar essa missão mais possível: fazendo parte do Archademy! Somos mais do que um espaço para você desenvolver os seus projetos. Queremos apoiar seu escritório para que ele possa crescer rápido! Por isso, aqui você faz networking, participa de workshops, participa de treinamento para melhorar as suas vendas e muito mais. Conheça o nosso trabalho!

Veja dicas de iluminação para banheiro e aprenda a usar a luz como decoração

A iluminação para banheiro é uma das mais importantes da casa. Além de ser o cômodo mais íntimo e privado, é no banheiro que homens e mulheres costumam se arrumar. E fica bem complicado fazer uma maquiagem ou a barba, por exemplo, com uma luz meia boca.

Quando a iluminação para banheiro é bem elaborada e funcional, ela é capaz de atender as necessidades e, ao mesmo tempo, deixar o ambiente confortável, aconchegante e relaxante.

A iluminação ideal para banheiro deve atender duas situações opostas: clarear o suficiente para que as pessoas possam executar as atividades diárias que exigem uma boa iluminação e ser suave para tornar ainda mais relaxantes alguns momentos, como aquele banho depois de um dia intenso de trabalho. Nos momentos de relaxamento, a iluminação tem um papel fundamental para garantir o bem-estar humano.

Como iluminar o banheiro?

A iluminação para banheiro pode parecer simples. No entanto, é neste ambiente onde mais se cometem erros. Isso acontece principalmente pelas infinitas possibilidades que existem para iluminar este local.

Em um projeto arquitetônico, a iluminação para banheiro poder ser construída em diferentes designs. Além disso, há diversos tipos de luminárias que podem ser escolhidas para compor a decoração deste ambiente.

Assim, a iluminação ideal para banheiro deve levar em conta o tipo de luminária e a lâmpada a ser utilizada, pensando sempre na questão do conforto visual e na ausência de ofuscamento.

Além disso, também é importante que as luminárias escolhidas combinem com a decoração do banheiro, levando em consideração os acabamentos, texturas e cores.

Vale ainda ressaltar a importância da escolha da temperatura de cor das lâmpadas, já que este ponto irá exercer um papel decorativo muito importante.

Iluminação para Banheiro – Luz Natural x Luz Artificial

A iluminação natural é um diferencial em qualquer ambiente, principalmente no banheiro. Por isso, na hora de fazer um banheiro em um projeto arquitetônico, é importante pensar em meios de fazer com que a luz natural ilumine esse cômodo. Na maioria dos casos, são utilizadas janelas ou aberturas no teto.

A luz natural no banheiro é essencial para mantê-lo arejado, livre de insetos e mofo. No entanto, ela não substitui a artificial. É necessário pensar nas duas, já que cada uma dessas fontes de luz traz uma contribuição diferente e desempenha um papel importante dentro do banheiro.

Iluminação para banheiro
Fonte: Junia Azenha / Foco e Luz

Iluminação para Banheiro – Luz Branca ou Amarela?

A luz branca é indispensável para garantir um banheiro claro e trazer visibilidade ao espaço. Essa luz também deixa o cômodo mais estimulante.

Já a luz amarela torna o ambiente mais aconchegante e acolhedor. Ela é ideal para o uso de luminárias de foco ou o uso de fita de LED atrás do espelho.

A dica é escolher a temperatura da cor da lâmpada de acordo com a cor que predomina no espaço. Por exemplo, se você tem um banheiro com tonalidade mais quente, a melhor opção é o branco quente – 3000k. Se o banheiro é mais claro, a melhor opção é o branco neutro 4000k ou o branco frio 5000k.

Mas primeiro é importante avaliar o espaço e quais os pontos de luz que foram definidos, para então escolher a temperatura das lâmpadas para cada ponto.

Iluminação para banheiro
Tipos de luz: luz quente, neutra e fria

Iluminação dentro do box

A iluminação dentro do box também merece atenção. É preciso tomar cuidado com o tipo de luminária a ser usada no box. Ela deve ser clara o suficiente para realizar a higiene pessoal e não pode deixar de ser aconchegante.

Por isso, nesse espaço é recomendado o uso de luminárias tipo painel de LED, seja de embutir ou de sobrepor.

Iluminação para banheiro
Projeto Lucas Pianes

Valorize o espelho

Um dos objetos mais usados dentro do banheiro é o espelho. Uma boa dica é valorizá-lo adicionando uma luz em cima dele ou em suas laterais. Neste caso, é indicado o uso de lâmpada fluorescente T5 ou fita de LED.

Ao trabalhar com espelhos é fundamental que se ilumine a região do rosto com uma luz mais uniforme e deve-se evitar a luz para baixo (downlighting) muito forte. O efeito “grazing” pode realça as texturas, rugas e sombras.

Ilustração: Espelho com iluminação frontal
Fonte: Private Residence – California H. Banks / Claudio Ramos

Iluminação para banheiro pequeno

Uma iluminação equivocada em um banheiro pequeno pode deixar o cômodo escuro e fazê-lo parecer ainda menor.

Por isso, para banheiros pequenos, o ideal é utilizar mais de uma fonte de luz, ter uma janela ou outro tipo de entrada de luz natural e iluminação embutida no espelho.

Quer uma dica para deixar seu banheiro pequeno ainda mais charmoso? Coloque luz indireta em pontos incomuns, como embaixo da pia. É surpreendente e dá um belo toque decorativo. Utilizar revestimento espelhado também é uma ótima saída.

Regras de iluminação para banheiro

  • O projeto luminotécnico sempre deve ser realizado a partir do layout do ambiente e a funcionalidade do local;
  • A bancada deve sempre ser bem iluminada e se possível de forma indireta. Utilizar iluminação atrás do espelho é uma ótima solução;
  • A cor do ambiente em relação ao teto, piso e parede influencia na iluminação desejada. Escolha a temperatura de cor da lâmpada de acordo com a cor que predomina nesses espaços;
  • Para um ambiente mais aconchegante, utilize iluminação indireta e spots com lâmpadas de luz quente;
  • Para um ambiente mais sofisticado e elegante, utilize sanca ou rasgo de luz;
  • Para maquiagem, a luz precisa ser frontal e difusa. A indicação de temperatura de cor é entre 3.000k e 4.000k e índice de reprodução de cor superior a 90%.

Quer mais dicas sobre iluminação e apoio para que seu escritório cresça mais rapidamente? Faça parte do Archademy! Entenda mais sobre nosso trabalho!

Já ajudamos mais de 700 escritórios a crescer e queremos compartilhar ideias e práticas bem-sucedidas.

Cadastre-se e receba conteúdo e novidades para o seu desenvolvimento profissional e pessoal.