Como elaborar um plano de negócios para um escritório de Arquitetura?

Abrir um escritório de Arquitetura parece um grande desafio, mas acredite: existe uma forma prática e eficiente para montar uma empresa de sucesso. Ainda que envolva muito trabalho e dedicação, o desenvolvimento de um plano de negócio auxilia qualquer empreendedor a criar a sua organização do zero e conquistar um bom reconhecimento no mercado.

O fato é que, muitos profissionais não estruturam o seu plano da maneira certa e acabam enfrentando uma série de desafios como perdas financeiras, dificuldade em fidelizar clientes e de fazer um bom nome entre os profissionais da área. Bom, já é possível perceber como essa ferramenta é importante, não é mesmo?

Neste artigo, compartilhamos com você as melhores dicas para criar um excelente plano de negócio para o seu escritório de Arquitetura, garantindo todos os benefícios que o planejamento e organização oferece. Acompanhe!

O que é um plano de negócio?

Antes mesmo de compreender suas etapas de construção, você precisa saber o que ele é e como funciona, concorda? O plano de negócio nada mais é do que uma ferramenta de planejamento capaz de descrever e detalhar a sua organização, evidenciando seus objetivos e passos que precisam ser tomados para alcançá-los.

A partir dessas informações, você consegue perceber a viabilidade do empreendimento por meio de diversos pontos de vista: desde o administrativo até o estratégico, financeiro, operacional e mercadológico. Podemos dizer, então, que ele mapeia o caminho que a sua empresa precisa trilhar para atingir o sucesso organizacional.

Mas, se ele reúne as principais informações, como existem empresas que não funcionam e apresentam um péssimo plano de negócio? Ainda que esses dados sejam importantes, não são eles que garantem o sucesso da sua organização, e sim a qualidade dessas informações.

Trazendo um exemplo para elucidar, imagine que você definiu que o seu objetivo é ter 100 clientes que solicitaram seus projetos arquitetônicos até o final do ano. Depois de estipular essa meta, você percebe que precisa encontrar mais pessoas interessadas em reformas ou construções inovadoras e investir na comunicação virtual.

Parece um bom plano, certo? Ainda que seja uma ótima iniciativa, não é suficiente para atingir o seu objetivo — ou, pelo menos, não é eficiente. O pulo do gato dessa ferramenta é justamente reunir informações detalhadas e de qualidade sobre o seu futuro escritório, com dados reais sobre seu público e oportunidades do mercado atual.

Quais são as etapas de construção?

Com o conceito em mente, está na hora de colocar a mão na massa e criar o seu plano de negócio. Como comentamos, não basta reunir algumas informações para ter sucesso, é necessário cumprir várias etapas de construção para que ele seja eficiente e traga dados relevantes à organização.

Nos próximos tópicos, explicamos cada passo que você precisa desenvolver, assim como dicas para otimizar esse processo e construir um plano com a cara do seu negócio. Confira!

Análise de mercado

Para começar o seu planejamento, o primeiro passo é realizar a análise de mercado. Com ela, você entende quem são seus clientes, quais são os melhores fornecedores e como está a concorrência no mercado. A partir dessas ricas informações, é possível orientar as suas estratégias iniciais para suprir a demanda dos consumidores e conquistar destaque entre os outros escritórios.

Para que isso seja eficiente, você precisa avaliar os seguintes tópicos:

  • segmentação de clientes: é necessário conhecer quem eles são, quais são seus hábitos de compras, desejos, dificuldades e possíveis objeções;
  • análise da concorrência: ao observar os concorrentes, você consegue perceber os pontos de melhoria para oferecer um serviço de qualidade, bem como identificar o que fez sucesso com as empresas que atuam no mesmo ramo;
  • análise de fornecedores: uma matéria-prima de qualidade é fundamental para ter um bom funcionamento organizacional, e conhecer os melhores fornecedores disponíveis assegura tal propriedade.

Plano de marketing

Indo um pouco mais além, o plano de marketing descreve todos os serviços detalhadamente. Isso quer dizer que você precisa colocar no papel — ou em softwares — tudo o que você sabe sobre o seu produto. Por exemplo, digamos que você busca desenvolver um escritório de projetos paisagísticos, o que entra nesse trabalho?

Desde a mão de obra até a forma de entrega do projeto para o cliente precisam estar descritas no seu plano. Isso faz com que você consiga estabelecer um preço justo e coerente não só com a sua especialização, como também com o mercado atual. Para facilitar, separamos algumas perguntas para você refletir e começar a planejar suas estratégias de marketing:

  • o que é o meu serviço?
  • quais são seus diferenciais?
  • o preço está equilibrado com a qualidade?
  • qual é o setor jurídico e administrativo da minha empresa?
  • eu conheço o comportamento de compra do meu cliente? Se sim, qual é?
  • como meu serviço chegará até ele?
  • como ele saberá que o meu trabalho existe?

Plano operacional

No último tópico, você elencou uma série de aspectos sobre o seu negócio: desde o comportamento de compra dos consumidores até uma média de valor e possibilidades de venda. É a partir desses dados que você dará início ao plano operacional, isto é, descreverá o funcionamento do seu empreendimento.

Para isso, você precisa responder mais uma pergunta: quanto é possível vender em um certo período de tempo? Com essa perspectiva, fica muito mais fácil identificar os passos necessários para ampliar suas estratégias, bem como evidenciar seus diferenciais para atrair mais clientes.

Plano financeiro

Em seguida, está na hora de voltar a sua atenção para a parte financeira. Aqui, você precisa estimar os custos iniciais para abrir seu escritório, assim como as despesas e receitas, capital de giro, fluxo de caixa e de lucros.

Por isso, a nossa dica é registrar o valor de tudo o que você já escreveu até aqui: fornecedores, matéria-prima, aluguéis, domínios e hospedagens online, estratégias de marketing, equipamentos, softwares de gestão e projetos etc. Como resultado, você encontrará o valor do seu investimento total para abrir a sua empresa.

Sumário executivo

Como o próprio nome indica, nessa etapa você precisa resumir os principais dados da sua organização, descrevendo seu empreendimento e seus diferenciais. A partir disso, é possível determinar a missão organizacional, estabelecer o perfil dos empreendedores e dos colaboradores, bem como os produtos e serviços oferecidos.

Para concluir, você também precisa elencar quem são os clientes da sua empresa, a localização do escritório, o investimento total, o enquadramento tributário e a forma jurídica da organização. Bom, como um bom resumo, isso só deve ser feito ao final do seu plano, ainda que precise estar logo após a capa do documento, combinado?

Análise de cenários e avaliação do Plano de Negócio

A última etapa consiste em revisar tudo o que foi estruturado. A partir da análise de cenários de mercado, você consegue criar simulações nas quais o seu escritório está funcionando corretamente ou não. Isso coloca em prova o seu plano de negócio e auxilia no desenvolvimento de soluções para enfrentar as situações adversas, caso elas apareçam.

Como ele pode ser direcionado para o mercado Arch&Design?

Até agora, você pôde conhecer as principais etapas para a construção de um plano de negócio. Mas, quando falamos no desenvolvimento de uma estratégia para o campo do Arch&Design, funciona da mesma forma? Ainda que a resposta seja positiva, para que ele seja eficiente é fundamental adaptá-lo à realidade da área.

Para isso, existem várias atitudes que você deve tomar que facilitam o afunilamento dessa ferramenta a fim de otimizar a sua construção, como:

definir a proposta de valor do seu escritório, entendendo o problema dos seus clientes e o serviço oferecido para a resolução;

  • determinar quais são os diferenciais oferecidos em comparação com os outros escritórios;
  • escolher o canal de comunicação que o seu negócio estará presente;
  • criar um padrão de atendimento;
  • encontrar os recursos necessários para criar o seu serviço de qualidade, tanto financeiros quanto administrativos;
  • definir seus parceiros e fornecedores e elencar suas vantagens competitivas;
  • estabelecer a média de custos e ganhos financeiros.

Montar um plano de negócio é uma das melhores formas para construir um escritório de Arquitetura que se destaca entre os demais. Para otimizar o seu trabalho, é possível contar com a ajuda de profissionais especializados que conhecem sobre o mercado do Arch&Design a fim de construir uma ferramenta eficiente e personalizada para a sua empresa.

E aí, gostou das nossas dicas? Aproveite para entrar em contato conosco e descobrir como você pode acelerar a construção do seu escritório de Arquitetura!

Sobre este autor

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Já ajudamos mais de 700 escritórios a crescer e queremos compartilhar ideias e práticas bem-sucedidas.

Cadastre-se e receba conteúdo e novidades para o seu desenvolvimento profissional e pessoal.


Não tenho interesse, obrigado