8 dicas essenciais para montar portfólio como recém-formado

Todo recém-formado em Arquitetura ou Design de Interiores precisa saber demonstrar o seu potencial para que as portas do mercado se abram. Então, não basta apenas um currículo com a relação de experiências vividas na área. Saber como fazer portfólio é essencial para exibir sua verdadeira aptidão.

Ele é a principal ferramenta para demonstrar seu talento de forma objetiva e que caiba em qualquer seleção. Por isso, o portfólio é fundamental, principalmente para quem começou agora!

Se você está nessa fase da vida e quer aprender a exibir suas habilidades, leia este artigo até o fim. Vamos ensinar você a montar seu portfólio e decolar na carreira. Vamos lá?

O que é portfólio?

É um arquivo, que pode ser virtual ou físico, que reúne trabalhos já executados por empresas ou profissionais autônomos. O objetivo desse material é demonstrar, de forma objetiva, as habilidades do candidato ao projeto ou cargo.

Fazer um portfólio é essencial para quem é recém-formado em Arquitetura ou Design de Interiores, porque é a única forma de apresentar seu trabalho e comprovar que tem competência para assumir a responsabilidade na posição desejada.

Como fazer um portfólio?

A montagem desse material precisa ser estratégica. Leve em consideração que as pessoas que vão analisá-lo nada sabem a respeito da sua trajetória profissional. Portanto, seja objetivo ao selecionar trabalhos e na forma de exibi-los.

Separamos aqui 8 dicas que vão ajudá-lo na construção desse arquivo. Confira!

1. Valorize sua formação

Pode parecer uma dica óbvia, mas é imprescindível que você valorize sua formação e exiba-a de forma destacada logo no início. Por exemplo: indique com a mesma relevância o seu nome e a sua formação. Isso é muito importante para a pessoa que definirá qual é o melhor candidato.

2. Preocupe-se com a apresentação visual

Não basta reunir todas as informações. A apresentação visual é tão importante quanto o conteúdo. Então, como um profissional de bom gosto e criatividade, faça um arquivo atraente aos olhos. Apresente as informações de forma organizada e objetiva, com layout adequado.

3. Selecione os trabalhos para cada ocasião

A objetividade é crucial. Por isso, evite exibir trabalhos que não estão relacionados ao projeto do futuro cliente. Estude um pouco sobre o lugar e personalize o portfólio de acordo com as expectativas. Saiba onde deve focar para estar mais apto a assumir o projeto.

4. Apresente projetos fictícios

Como recém-formado, é possível que você não tenha, ainda, um projeto autoral real. Mesmo durante seus estágios, dificilmente lhe foram atribuídas grandes responsabilidades. Mas isso não quer dizer que você não tem o que demonstrar. Faça projetos fictícios para potenciais clientes. Além de ser uma boa oportunidade de prática, isso vai proporcionar mais conteúdo para seu portfólio.

5. Inclua mais informações profissionais

Acrescente cartas de apresentação e recomendação, além de um breve currículo contendo suas experiências e principais habilidades. É importante compreender que, mesmo que esteja fazendo um portfólio, o mercado precisa conhecer sua trajetória e seu potencial para confiar no seu trabalho.

6. Faça um portfólio em formato virtual

Ter um portfólio físico é importante para que esteja sempre pronto para apresentação, independentemente da disponibilidade de um dispositivo eletrônico ou conexão à internet.

No entanto, esse documento também deve ser criado em plataformas que permitem o compartilhamento virtual, possibilitando que qualquer pessoa consiga visualizá-lo. Algumas boas ferramentas disponíveis online são: Behance, Brushd e Coroflot.

7. Use o Pinterest

O Pinterest é uma rede social que facilita o compartilhamento de arquivos. Nessa plataforma, um dos termos mais procurados é decoração. Isso porque a rede tem uma interface que oferece uma bela exibição de trabalhos, além de permitir que você se relacione com vários clientes realmente interessados.

8. Seja verdadeiro

Os clientes que vão analisar seu portfólio certamente vão querer conversar com você. Mais do que isso: eles tendem a procurar referências para garantir que estão contratando a pessoa certa. Portanto, fique atento a estas recomendações:

  • evite criar contradições: se os potenciais clientes perceberem que você mentiu, isso pode prejudicar radicalmente sua carreira;
  • evitar criar expectativas infladas nos clientes: mostre o que você de fato sabe fazer e entregue um serviço compatível com o da apresentação.

Como demonstrar competência profissional?

Mais do que saber como fazer o portfólio, é preciso também entender a teoria por trás da prática. Demonstre que você é realmente um profissional conhecedor do assunto. A seguir, veja algumas atitudes importantes para quem quer se desenvolver no mercado da Arquitetura e Design de Interiores. Lembre-se de que experiências desse tipo também contam pontos em seu portfólio:

1. Participe de workshops

Workshops são momentos excelentes para absorção de conhecimento sobre um tema específico da área. Também são ótimas oportunidades para promover networking e para se posicionar no mercado.

Participar desses eventos é enriquecedor, e quem está prestes a contratar o seu serviço precisa saber que você está atento às tendências, profissionalizando-se constantemente e dedicando-se à sua profissão. Além disso, durante esses eventos é possível desenvolver projetos que enriquecerão ainda mais o seu portfólio.

 2. Faça cursos de profissionalização

A área de Arquitetura e Design de Interiores é muito dinâmica e requer atualização periódica de conhecimentos.

Os cursos de pós-graduação, por exemplo, são tão importantes quanto os workshops e oferecem profissionalização em diversos níveis.

Mostre ao seu potencial cliente que você é um profissional comprometido e dedicado, desenvolvendo constantemente suas habilidades e mantendo-se sempre atualizado.

Como atrair mais clientes com meu portfólio?

É imprescindível dedicar-se à absorção de conhecimento e técnica de projetos. Além disso, como vimos até agora, é importante saber como fazer um portfólio atraente e objetivo para que os possíveis clientes sejam conquistados e sintam-se convencidos a negociar um projeto.

No entanto, é necessário ter uma visão estratégica de negócio e uma boa visão administrativa para criar uma empresa que atraia cada vez mais clientes.

Para isso, é preciso estar por dentro dos workshops mais importantes da área de Arquitetura e Design de Interiores e ter acesso a conteúdos exclusivos de gestão e aceleração de empresas da área.

E então, gostou de saber como fazer portfólio e como torná-lo uma importante ferramenta de captação de clientes? Entre em contato e saiba como podemos ajudar você a profissionalizar cada vez mais seu escritório de arquitetura.

Como escolher o nome do seu escritório? Confira em 4 passos!

Uma das principais dúvidas de quem quer empreender é saber como escolher nome de escritório. Criar um nome que seja interessante e único não é uma tarefa fácil — pelo contrário, ela exige criatividade, trabalho e muita pesquisa! Nesse sentido, é preciso ficar atento aos detalhes, como a facilidade de escrever, pronunciar e memorizar.

Além do mais, um nome forte e que imprima personalidade é importante para o seu negócio se destacar no mercado. Ele deve ter ligação com o serviço e, quanto mais fácil de ser encontrado no ambiente virtual, mais as pessoas poderão localizá-lo.

Pensando nisso, preparamos este miniguia para você aprender a escolher o melhor nome para o seu escritório de Arquitetura e Design de Interiores. Confira!

Nome fantasia ou nome próprio

Você já deve ter se questionado se o seu escritório deve ter um nome fantasia ou se é possível usar seu próprio nome, certo? Essa é uma dúvida muito comum entre quem está iniciando a carreira do empreendedorismo.

Muitos profissionais optam por usar o próprio nome no escritório — e não há nada de errado nessa escolha. Se você estiver formando uma parceria, é possível combinar dois ou mais sobrenomes para criar um resultado mais atrativo e coerente.

Entretanto, é fundamental ressaltar que, ao optar pelo seu nome, ele torna-se uma marca. Nesses casos, é imprescindível ter alguns cuidados extras! Assim, fique atento, principalmente, às suas postagens e opiniões nas redes sociais e nas parcerias estabelecidas com outros profissionais e empresas.

Pequenos deslizes podem arruinar a sua carreira. Todavia, uma marca bem construída pode realmente ajudá-lo a se sobressair da forte concorrência. Por isso, sempre associe seu nome a serviços de excelência, bom atendimento e ótimos projetos.

Outra opção é criar um acrônimo. Porém, é importante pensar que, às vezes, os nomes reais chamam mais a atenção dos clientes e são mais notáveis do que uma sequência de letras, certo?

Passo a passo para escolher nome de escritório

Se você preferir criar um nome fantasia que seja exclusivo e represente a sua visão, siga o nosso roteiro a seguir!

1. Use o Golden Circle

O conceito de Golden Circle foi criado pelo especialista em liderança Simon Sinek. Ele tem o objetivo de criar e desenvolver um novo negócio ou uma nova ideia — e pode ser muito bem aplicado para essa situação! 

A metodologia é simples e causa um grande resultado positivo, pois foi desenvolvida para estruturar um novo método de agir, pensar e comunicar, com o intuito de criar um impacto favorável ao empreendimento no mercado.

O círculo é composto pelas seguintes questões, de dentro para fora:

  1. Por quê?
  2. Como?
  3. O quê?

De dentro para fora, o primeiro campo define os motivos pelos quais você quer começar um novo negócio e quais são os seus propósitos. Qual a sua motivação para ser arquiteto? Por que você deseja investir na área? Você acredita em alguma causa? Por que você está no caminho certo?

O segundo campo diz respeito a como você faz. Ou seja, é preciso pensar nas ações práticas e concretas que você colocará em prática para alcançar os seus objetivos. Desse modo, avalie a forma como você executa ou pretende executar os seus projetos.

Ainda nesse momento, inclua os seus valores e crenças pessoais. Pense no modo como você exerce o seu trabalho e em como você pode se destacar no mercado. Analise os diferenciais que pretende criar com a sua marca.

Por fim, temos o que você efetivamente pretende fazer ou vender. Todas as empresas devem saber o que fazem, portanto, essa é uma etapa simples de ser analisada. Ao criar o nome do seu escritório, é preciso estar atento a estes três elementos:

  • posicionamento;
  • diferencial;
  • público-alvo.

Vamos detalhar e entender melhor cada um desses princípios nos demais passos. Acompanhe!

2. Pense no posicionamento da marca

Comece se questionando: o que você deseja que as pessoas sintam ao ouvir o nome do seu escritório? Como fazer para ele ficar gravado na memória dos indivíduos?

Entretanto, lembre-se de que nomes extremamente simples ou sem nenhum sentido não revelam qualquer posicionamento ou personalidade. Pelo contrário, o nome escolhido deve mostrar rapidamente o foco de atuação e transmitir algum valor para o trabalho.

Ou seja, uma marca singular e notável é fundamental para fortalecer o seu nome no mercado, aprimorar a visão que o público tem sobre o seu empreendimento e fidelizar os clientes.

3. Avalie o diferencial do nome

Nesse passo, você pode pesquisar os nomes dos escritórios de Arquitetura da sua cidade para evitar escolher um nome que já exista. Além disso, é importante que a sua escolha reflita o seu diferencial. O que o seu escritório fará melhor que os outros?

Pode ser a técnica e a qualidade do serviço, o cumprimento do prazo de entrega, o bom atendimento, os softwares modernos, a apresentação diferenciada, o nível de profissionalismo etc. O essencial é que o cliente entenda os motivos pelos quais ele deve procurar o seu trabalho, e não o dos outros.

É importante que um arquiteto seja criativo, por isso, um nome distinto e inovador torna o seu projeto conhecido pelos clientes que procuram as atividades que você oferece.

4. Alcance o seu público-alvo

O último passo consiste em estudar e entender as necessidades e o estilo do seu público-alvo. Quem você quer atingir? Qual será o foco dos seus projetos arquitetônicos? Qual é o perfil das pessoas que buscam pelo paisagismo ou outras áreas na sua cidade?

Uma boa estratégia é criar uma persona, ou seja, alguém que represente o seu cliente ideal. Nesse sentido, estabelecer um perfil psicológico bem descrito pode ser muito útil.

Por exemplo: imagine que a Patrícia, sua persona, é advogada, casada, tem um filho e adora viajar. Ela gosta de novidades e preocupa-se com a sustentabilidade. Seu estilo é mais moderno e inovador. Qual nome de escritório você imagina que despertaria o interesse da Patrícia?

Por fim, para finalizar e aprender de vez como escolher nome de escritório, pesquise por nomes criativos no mercado — nacional e internacional. Avalie a qualidade que cada nome tem e como ele se destaca dos demais. Analise, por exemplo, o tamanho, a sonoridade e a conexão com a área. Depois, inspire-se e crie o melhor!

Se você gostou deste conteúdo, não deixe de complementar a leitura e entenda os motivos pelos quais você não consegue captar clientes para o seu escritório! Até a próxima!

Já ajudamos mais de 700 escritórios a crescer e queremos compartilhar ideias e práticas bem-sucedidas.

Cadastre-se e receba conteúdo e novidades para o seu desenvolvimento profissional e pessoal.


Não tenho interesse, obrigado